Domingo, 25 de Maio de 2008

Os Novos Heróis de Mação - VENCEDORES DA TAÇA DO RIBATEJO

 

 

 

 

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO 2 - RIACHENSE 1

 

 

Foi uma tarde perfeita e inesquecivel. A Festa foi, é e será de arromba. A todos os intervenientes neste feito histórico rendo a minha homenagem. A curto prazo, estou convicto, outras homenagens mais formais se seguirão.

 

PARABÉNS A TODOS!!!

 

José António Almeida

 

publicado por José António Almeida às 21:59

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 22 de Maio de 2008

Depressões degradantes...

 

 

 

É sempre bom quando um ilustre, conhecido e reconhecido comentador de política local, como é o caso do Sr. Vítor Silva – que com as suas profundas e atentas análises marca a agenda política não só de Mação mas de toda a Região Centro e com o qual eu aprendo todos os dias e de certa forma condiciono tudo o que faço, digo ou penso – vem comentar as minhas humildes opiniões expressas neste espaço que partilho sem qualquer filtro.

O ilustre Vítor Silva comentou uma nota de rodapé a uma foto do Rui Costa Chamando a essa nota, penso eu, texto degradante ou deprimente.

Confesso que não percebi, se foi apenas essa nota que deixou o Sr. Vítor deprimido se foram todos os outros textos que publiquei neste espaço.

Dado que o termo depressão pode ser usado em vários sentidos e/ou contexto também não percebi que depressões os meus textos possam causar:

  • Do ponto de vista da medicina, principalmente da psiquiatria e da psicologia a depressão é considerada um estado mórbido, em que a mente ou o humor se encontra abaixo do nível óptimo do indivíduo.
  • Do ponto de vista da geografia física, uma depressão é uma região da superfície da Terra que se encontra mais profunda que a região à sua volta (pode dar origem a um lago);
  • Para os climatologistas, uma depressão é uma zona da atmosfera onde a pressão barométrica é mais baixa que à sua volta (pode dar origem a um ciclone ou outros fenómenos).

Seja em que sentido for a depressão está sempre ligada a algo que está mais abaixo do que tudo o que está à sua volta, por isso, Sr. Vítor, peço desculpa por as minhas notas o atiraram para o buraco; confesso que desconhecia este efeito secundário em algo que julguei sempre perfeitamente inofensivo.

Tenho que reconhecer, caro Vítor, que não consigo chegar  seus calcanhares, nem sequer à sua douta cabeça; é a minha dor nas costas que não permite baixar-me.

O brigado pela preocupação em desejar-me as melhoras.

Mais uma vez as minhas desculpas pelos efeitos negativos que os meus textos lhe causaram.

Sempre a considerá-lo e a agradecer, honrado, os seus comentários.

 

José António Almeida

Confesso que foi a única pessoa que o fez e isso deixou-me muito sensibilizado.

publicado por José António Almeida às 11:50

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 12 de Maio de 2008

Não vai ser fácil substituir-te

 

 

 

 

Caro Rui...

nem o vergonhoso 4º Lugar ensombrou o carinho com que te brindámos e agradecemos  toda a tua classe. Que sejas o maestro que necessitamos nas tuas novas funções.

publicado por José António Almeida às 22:10

link do post | comentar | favorito

Infantilidades e brindes

Fomos brindados recentemente com uma publicação dos socialistas de Mação, liderados por Nuno Neto que me merecem dois ou três comentários.

Queixa-se Nuno Neto que o P.S. deixou de ter voz no “Voz da minha Terra”. Sempre pensei que Nuno Neto tivesse em maior consideração os seus camaradas João Paulo Almeida, José Fernando Martins, António Reis, António Colaço, António Martins e outros que desde há muito tempo têm sido vozes Socialistas sempre presentes na crítica acutilante ao executivo Camarário e ao PSD.

Esta foi uma infantilidade de Nuno Neto dado que o “Voz da Minha Terra” tem sido o veículo privilegiado para o P.S. se fazer ouvir. Durante algum tempo até foi chamado e o Nuno Neto sabe disso “Voz Socialista”.

Chamar o Presidente da Câmara de Mação de habilidoso e pouco sério também me parece outra infantilidade de Nuno Neto.

A maior infantilidade de Nuno Neto foi o comentário crítico que teceu ao Relatório de Actividades da Câmara Municipal fundamentando-o num aumento das despesas correntes o que efectivamente se verificou. Criticar só por si o aumento da despesa corrente numa Câmara Municipal é ignorância, é desconhecimento, falta de preparação gritante num líder partidário.

Caro Nuno Neto, as Câmaras Municipais do presente e do futuro, já não são tanto Câmaras de obra mas sim de Serviços. Se fecharmos a Piscina, a Biblioteca, o Museu, as escolas do Primeiro Ciclo os Jardins-de-Infância, se deixarmos de efectuar transportes Escolares e servir refeições, se deixarmos de ceder o autocarro às Associações… já não aumentamos a despesa corrente.

O amigo leitor concordará comigo que este “Mação Socialista” foi de facto IN(fantil)FELIZ.

José António Almeida

 

publicado por José António Almeida às 21:55

link do post | comentar | favorito

Infantilidades e preservativos

Hoje o diário “Correio da Manhã” brindou-nos com uma notícia que me deixou preocupado.

No âmbito de uma acção de prevenção na área do Planeamento Familiar numa escola de Almancil foram distribuídos preservativos a crianças de onze e doze anos.

Pode ler-se na notícia que “O Centro de Saúde local enviou à escola uma enfermeira, com o consentimento do Conselho Executivo, para uma acção de formação sumária, efectuada em breves minutos nas várias salas de aula, e que terminou com a entrega a cada um dos alunos de um conjunto de três preservativos….”

Na mesma notícia o responsável do movimento “Algarve pela Vida” mostrou-se chocado com o facto de os pais só terem sabido da acção, quando, ao chegarem à escola, viram os filhos a brincar com os preservativos transformando-os em balões e em luvas, afirmando que a escola pede autorização aos pais para fazer rastreios à obesidade infantil mas distribui preservativos completamente à revelia destes.

Esta situação vem trazer, a meu ver, para a ordem do dia a problemática da Educação Sexual nas Escolas.

É um assunto de enorme complexidade para ser tratado à pressa, como parece que foi o caso “breves minutos nas várias salas de aula”; abordar a sexualidade tem obrigatoriamente que se fazer de uma forma inter e multidisciplinar, com o envolvimento desde a primeira hora dos pais e dos seus representantes. Por melhor preparado que esteja o médico, o enfermeiro, o professor de Ciências, ou outro qualquer profissional jamais fará, só por si, um bom trabalho; penso até que serão maiores os malefícios que os benefícios.

Jamais se poderá abordar a sexualidade de forma eficaz e benéfica para o futuro das crianças se afastarmos a abordagem da afectividade, da emotividade, dos valores, das tradições, dos usos, dos costumes, do ambiente de cada escola.

A intimidade (a sexualidade é sempre íntima) é incompatível com ligeireza.

O amigo, que partilha comigo este espaço, não acha que estes preservativos infantis foram uma infantilidade de quem decidiu a distribuição?

 

publicado por José António Almeida às 21:49

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30

.posts recentes

. Mentes brilhantes

. Os Novos Heróis de Mação ...

. Depressões degradantes...

. Não vai ser fácil substit...

. Infantilidades e brindes

. Infantilidades e preserva...

. Privilégios e Diferenças....

. Tem a palavra Srª Deputad...

. A solidariedade ainda é o...

. CEM MIL PROFESSORES A PED...

.arquivos

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds